» With 5.322 notas 5322 (Source)
Reblog this!

 
Posted
Há 1 semana

(via r-eplan)

» With 897 notas 897 (Source)
Reblog this!

 
Posted
Há 1 semana
» With 18 notas 18 (Source)
Reblog this!

 
Posted
Há 1 semana
» With 3.834 notas 3834 (Source)
Reblog this!

 
Posted
Há 1 semana
» With 3.551 notas 3551 (Source)
Reblog this!

 
Posted
Há 1 semana
» With 13.241 notas 13241 (Source)
Reblog this!

 
Posted
Há 1 semana
Você me faz respirar diferente, com você eu inalo e exalo amor.
Blindar.    (via construindoversos)

(via construindoversos)

» With 3.151 notas 3151 (Source)
Reblog this!

 
Posted
Há 1 semana
Não existe um “eu” antes de meio dia, só existe sono, preguiça e mau humor.

(via 100-sorrisos)


» With 3.151 notas 3151 (Source)
Reblog this!

 
Posted
Há 1 semana
» With 2.129 notas 2129 (Source)
Reblog this!

 
Posted
Há 2 semanas
» With 5.826 notas 5826 (Source)
Reblog this!

 
Posted
Há 2 semanas
Mas se você não fosse diferente não teria me conquistado. Eu não teria me apegado a você. Não gosto do que é comum, do que é convencional. Gosto é de você. Isso, você. Desse teu jeito torto mesmo. Dessa sua mania de dizer que te amo. Dessa sua certeza absoluta sobre tudo. Do jeito que você me arranca sorrisos sem esforço. Desse teu bom humor insuportável. Suas implicâncias, crises existências. Seus defeitos - feitos - pra mim. Não mude. Nem por mim e nem pra agradar a ninguém. Se um dia quiser mudar, mude seu endereço e venha dividir uma cama de solteiro comigo.
Querido John.   (via r3-inventando)

(via complicadaaeeperfeitinha)

» With 1.003 notas 1003 (Source)
Reblog this!

 
Posted
Há 2 semanas
» With 2.264 notas 2264 (Source)
Reblog this!

 
Posted
Há 2 semanas
» With 35.535 notas 35535 (Source)
Reblog this!

 
Posted
Há 2 semanas

(via moan-s)


» With 7.529 notas 7529 (Source)
Reblog this!

 
Posted
Há 2 semanas
» With 64.623 notas 64623 (Source)
Reblog this!

 
Posted
Há 3 semanas
O rouge virou blush. O pó-de-arroz virou pó-compacto. O brilho virou gloss. O rímel virou máscara incolor. A Lycra virou stretch. Anabela virou plataforma. O corpete virou porta-seios. Que virou sutiã. Que virou silicone. A peruca virou aplique… interlace… megahair… alongamento. A escova virou chapinha. ‘Problemas de moça’ viraram TPM. Confete virou MMs. A crise de nervos virou estresse. A purpurina virou gliter. A tanga virou fio dental. E o fio dental virou anti-séptico bucal. Ninguém mais vê: O à-la-carte porque virou self-service. A tristeza agora é depressão. O espaguete virou miojo pronto. A paquera virou pegação. A gafieira virou dança de salão. O que era praça virou shopping. A areia virou ringue. O LP virou CD. A fita de vídeo é DVD. O CD já é MP3. É um filho onde eram seis. O álbum de fotos agora é mostrado por e-mail. O namoro agora é virtual. A cantada virou torpedo. E do ‘não’ não se tem medo. O break virou street. O samba, pagode. O carnaval de rua virou Sapucaí. O folclore brasileiro, halloween. O piano agora é teclado, também. O forró de sanfona ficou eletrônico. Fortificante não é mais Biotônico. Polícia e ladrão virou Counter Strike. Fauna e flora a desaparecer. Lobato virou Paulo Coelho. Caetano virou um pentelho. Elis ressuscitou em Maria Rita. Raul e Renato. Cássia e Cazuza. Lennon e Elvis. A AIDS virou gripe. A bala antes encontrada agora é perdida. A violência está maldita. A maconha é calmante. O professor é agora o facilitador. As lições já não importam mais. A guerra superou a paz. E a sociedade ficou incapaz. De tudo. Inclusive de notar essas diferenças.
Luís Fernando Verissímo.  (via auroriar)

(via auroriar)

»